14 março 2014

Avaliação do Desempenho do Adjuvante "Natural" ADIMEL CE Servalesa no Controle da Deriva.


Tecnologia de Aplicação de Adjuvantes Redutores de Deriva e Condicionadores de Calda das Pulverizações 

Avaliação do Desempenho do Adjuvante "Natural" ADIMEL CE Servalesa no Controle da Deriva.



Manoel Ibrain Lobo Junior

Engenheiro Agrônomo
Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


Avaliação de Desempenho de Adjuvante em Calda de Pulverização.

O objetivo desse trabalho prático foi classificar as características funcionais e técnicas do produto ADIMEL CE e o seu desempenho como adjuvante de calda nas pulverizações, através da análise visual dos efeitos desejáveis desse produto pelo mercado agrícola no Brasil.

Foram avaliados e observados durante os testes práticos os efeitos visuais:

1º) Estabilidade Química e Solubilidade em Água;
2º) Espalhamento e Aderência;
3º) Redução do pH e Capacidade de Tamponamento;
4º) Controle da Espuma;
5º) Redução da Deriva em Bancada (Ambiente Controlado);
6º) Redução da Deriva em Campo (Simulação de Pulverização);
7º) Avaliação da Qualidade das Gotas Condicionadas.

Avaliação do Desempenho do Adjuvante "Natural" ADIMEL CE no Controle da Deriva. 

Os testes foram realizados em bancada (laboratório de tecnologia de aplicação), em ambiente controlado, nas doses de 30, 50, 70 e 100 ml/100 litros de água. 

O objetivo desses testes foi observar a capacidade do adjuvante ADIMEL CE de reduzir a deriva na pulverização de gotas produzidas com classificação de tamanhos "finas para muito finas" a eficiência no controle dos tamanhos das gotas e homogeneização.

Na foto abaixo, a ponta de jato tipo cone vazio KGF COAP 80067 na pressão de 50 psi produz gotas extremamente finas (80 a 120 micra), totalmente suscetíveis à deriva, durante as aplicações de calda em base aquosa (somente água como veículo).



É possível visualizar que as gotas muito finas ficam em suspensão, dentro da turbulência dos jatos de pulverização, sem direção definida. Em função desse “descontrole” da direção de queda, o jatos não formam “desenho” triangular definido, nem a correta abertura de ângulo (maior que 80 graus).


Nas fotos abaixo, após a adição do adjuvante ADIMEL CE, a ponta de jato cone vazio na pressão de 50 psi produz gotas extremamente finas, porém essas gotas estão protegidas pelo adjuvante por uma “película anti-evaporante", dessa forma essas gotas mantém o seu tamanho original, mantém a velocidade de queda constante, formando nitidamente o desenho do jato de pulverização (ângulo maior que 90 graus).



A homogeneidade dos tamanhos das gotas também beneficia a melhor formação do jato e a redução da deriva nessa simulação de pulverização abaixo. Percebe-se que a turbulência das gotas finas se concentra "mais na parte final” dos jatos.



Nas fotos sequenciais abaixo é possível visualizar nitidamente toda a etapa de evolução do “efeito redutor da deriva” apresentado pelo adjuvante ADIMEL CE.

A percepção do efeito total de redução da deriva e da perfeita formação dos jatos de pulverização (desenho definido) acontece no tempo cronometrado de 01 (um) minuto e 18 (Dezoito) segundos após a adição do adjuvante ADIMEL CE na calda da pulverização.



Tempo: 00:17

Tempo: 00:31

Tempo: 00:40

Tempo: 01:02

Tempo: 01:18

Tempo: 01:30

Tempo: 01:47

Tempo: 01:58

Tempo: 02:19

Tempo: 02:37



Na foto abaixo, o pulverizador autopropelido Gafanhoto 4000 4X4 DUAL no campo de provas da fábrica da empresa ServSpray (www.servspray.com.br) em Piedade, Estado de São Paulo.


As pontas de jato tipo cone vazio COAP 80067 utilizadas nos testes em bancada e as pontas COAP8003, utilizadas na equipagem do pulverizador autopropelido Gafanhoto 4000 4X4 DUAL foram gentilmente fornecidas pela conceituada empresa KGF, fabricante nacional de bicos de pulverização em cerâmica.



Foram realizados testes preliminares de avaliação visual dos riscos de deriva somente em base aquosa, simulando uma aplicação no volume de 100 litros/ha, em condições de alta temperatura, baixa umidade relativa do ar e rajadas de vento entre 12 a 15 km/h.

Nas fotos abaixo, é possível visualizar a produção de gotas com classificação de tamanhos finas e muito finas (somente em água) em suspensão no ar, sendo levadas pelo vento até distâncias indeterminadas. Nessa pulverização, somente em base aquosa, os riscos de perdas por deriva e evaporação estão na ordem de 40% a 60%.



Na foto abaixo, após a adição do adjuvante ADIMEL CE na calda de pulverização, foi possível constatar através de análise visual, uma significativa redução da deriva e a eficiente capacidade de homogeneização dos tamanhos das gotas produzidas.



Foram realizados testes de deposição de gotas em papeis sensíveis à água, objetivando quantificar a maior eficiência da taxa de recuperação do volume de calda aplicado com a adição do adjuvante ADIMEL CE, comparando com a pulverização somente em base aquosa.

Os testes foram realizados em área com relevo extremamente adverso, objetivando a máxima instabilidade das barras de pulverização, maximizando os riscos de perdas pela deriva e evaporação das gotas finas produzidas. 




Na foto abaixo, o pulverizador autopropelido Gafanhoto 4000 4X4 DUAL realizando a simulação de pulverização somente em base aquosa (aplicando somente água), no volume de 100 litros/ha, em velocidades operacionais de 10 a 14 km/h.

É possível visualizar através da foto abaixo a produção de gotas muito finas, bastante suscetíveis às perdas por deriva e evaporação.


Nas fotos abaixo, os resultados das deposições de gotas nos papeis sensíveis à água,  após a pulverização somente em base aquosa.

Foram utilizados 04 (quatro) coletores de gotas (papeis sensíveis à água) distribuídos aleatoriamente no percurso de aplicação do pulverizador autopropelido Gafanhoto 4000, conforme apresentado abaixo.










Na foto abaixo, o pulverizador autopropelido Gafanhoto 4000 4X4 DUAL realizando a simulação de pulverização da calda condicionada pelo adjuvante ADIMEL CE, no volume de 100 litros/ha, em velocidades operacionais de 10 a 14 km/h.

É possível visualizar o efeito de "redução da deriva" do adjuvante ADIMEL CE nas gotas finas produzidas, através dos compostos naturais "anti-evaporantes", minimizando os riscos de perdas pela deriva e evaporação.



Estima-se que em média as perdas por evaporação e deriva nas pulverizações estão entre 30% a 40% do total dos defensivos agrícolas aplicados em todas as fases dos tratamentos químicos realizados pelos produtores em diversas culturas comerciais. 

Essas perdas dos produtos químicos para fora das áreas de aplicação poderão atingir diretamente as áreas sensíveis próximas (florestas, rios, lagos, etc), colocando em risco a segurança da equipe operacional e do meio ambiente.



Os grandes investimentos da empresa Servalesa no desenvolvimento de novas tecnologias sustentáveis em produtos naturais objetivando o condicionamento da calda para o controle das perdas nas pulverizações (deriva, evaporação, pH, derrames pela formação de espuma, etc) deixa claro a grande preocupação dessa conceituada empresa com as questões ambientais diretamente ligadas às práticas das pulverizações.

Nas fotos abaixo, é possível visualizar um significativo aumento no número de gotas depositadas nos papeis sensíveis à água, após a simulação de pulverização da calda condicionada pelo adjuvante ADIMEL CE, quando comparada com a simulação de pulverização realizada somente em base aquosa (somente água como veículo).










Os testes de redução da deriva realizados em laboratório (bancada) e em campo (deposição de gotas), por mais simples que possam parecer, definem a escolha do adjuvante. 

São testes que os produtores, gerentes e técnicos de fazendas, operadores de pulverizadores ou qualquer outro profissional da área agrícola estarão fazendo “antes da compra do adjuvante” para todas as aplicações de herbicidas, inseticidas e fungicidas.

O produto ADIMEL CE (Servalesa - Espanha) é um Adjuvante Orgânico, 100% Natural, Redutor de Deriva, Espalhante, Adesivo e Condicionador de Calda de Agroquímicos.

 

Em toda a Comunidade Européia o adjuvante de calda ADIMEL CE é registrado como “produto orgânico” OMDF “Organismo Medio de Defensa Fitosanitario”.

Os fertilizantes foliares e adjuvantes naturais desenvolvidos pela empresa Servalesa cumprem com todas as diretrizes da normatização européia sobre a agricultura ecológica: AENOR, APCER, AFAQ, SHC ECOCERT, CERTPLANET, dentre outras.

As avaliações em bancada foram realizadas no laboratório de tecnologia de aplicação da empresa KGF (www.bicoskgf.com.br), conceituada fabricante nacional de bicos (pontas) de pulverização em cerâmica.

Os testes de redução da deriva e de deposição de gotas em campo foram realizados no campo de provas e de demonstrações da empresa SERVSPRAY, conceituada fabricante dos pulverizadores autopropelidos Gafanhoto 4000 4X4 DUAL.

Nas fotos abaixo, o Sr. Gilson Barros (KGF) e Sr. João Rodrigues Alves Neto (SERVSPRAY) durante a realização dos testes de pulverização em campo, utilizando o pulverizador Gafanhoto, equipado com os bicos COAP 8003, aplicando a calda condicionada pelo adjuvante ADIMEL CE.



Agradecimentos ao Sr. Gilson Barros (KGF) e ao Sr. João Rodrigues (ServSpray), por toda a grande ajuda e colaboração durante os trabalhos realizados.


Agradecimentos especiais aos competentes profissionais da conceituada empresa Servalesa (Espanha).


Informações Profissionais:


Manoel Ibrain Lobo Jr .'. é Engenheiro Agrônomo, consultor em tecnologia de aplicação de agroquímicos, ministrando cursos, treinamentos, palestras e realizando avaliações de pulverizadores autopropelidos, pulverizadores tratorizados, turbo-atomizadores e bicos de pulverização para revendas agropecuárias, cooperativas agrícolas, usinas de cana-de-açúcar e outras empresas da área agrícola.


Acesse: www.scribd.com/pulverizador


http://www.linkedin.com/pub/manoel-ibrain-lobo-junior/24/5b5/a33



PULVERIZADOR - COPYRIGHT 2014


Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br , www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.

10 fevereiro 2014

Treinamento em Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos - Usina Coruripe - Unidade Carneirinho - Minas Gerais.


Treinamento em Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos

Usina Coruripe - Unidade Carneirinho - Minas Gerais.


Manoel Ibrain Lobo Junior
Engenheiro Agrônomo
Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


O treinamento avançado em tecnologia de aplicação de agroquímicos objetivou fornecer aos profissionais da Usina Coruripe - Unidade Carneirinho, os subsídios necessários para o desenvolvimento e a implantação de projetos de sustentabilidade nas práticas de controle químico de plantas invasoras, insetos, doenças e modelos operacionais de qualidade total nas pulverizações baseados nas normas internacionais de "Boas Práticas Agrícolas (GlobalGAP)".




Mereceram destaque durante os treinamentos teóricos ministrados em sala os tópicos sobre o planejamento operacional das aplicações de agroquímicos, conceitos sobre a segurança da equipe operacional e do meio ambiente e propostas para a implantação da qualidade total em todas as etapas do controle químico.






Agradecimentos especiais aos profissionais Gizele Souza e Fernando Garcez, meus grandes amigos, pela confiança e pela possibilidade de novamente estar desenvolvendo trabalhos em tecnologia de aplicação na conceituada Usina Coruripe (Iturama - Minas Gerais).




Agradecimentos aos competentes profissionais da Usina Coruripe, Sr. Weliton Silva e Sr. Adailton Freitas, por toda a atenção e pronta colaboração durante os trabalhos em tecnologia de aplicação desenvolvidos na Unidade Carneirinho.



O treinamento prático em tecnologia de aplicação de agroquímicos na cultura da cana-de-açúcar ministrado para a competente equipe técnica da conceituada Usina Coruripe - Unidade Carneirinho (Carneirinho - Minas Gerais), objetivou a capacitação na correta avaliação, regulagem e calibração do pulverizador Falcon 1400 Jacto e do pulverizador autopropelido Uniport 2000 e no monitoramento da qualidade das aplicações de herbicidas, inseticidas e fungicidas.



A competente equipe de profissionais da Usina Coruripe, durante a equipagem do pulverizador autopropelido Uniport 2000 Jacto, com pontas de pulverização venturi (indução de ar), objetivando a correta seleção de tamanhos de gotas aeradas para o total controle da deriva em condições meteorológicas adversas.







Foram realizados testes de aplicação com o pulverizador autopropelido Uniport 2000 equipado com as pontas de pulverização venturi (indução de ar) Jacto Albuz AVI 11003, Jacto Albuz CVI 11003, KGF RDA 110015, Jacto Albuz AVI 110015, Jacto Albuz CVI 110015, KGF RDA 110015, dentre outras.






Nas fotos abaixo, a nova ponta de pulverização venturi Jacto Albuz CVI 11003, os coletores de gotas (papeis sensíveis à água) e o pulverizador autopropelido Uniport 2000, durante os testes de deposição de gotas nas áreas de cana-de-açúcar da Usina Coruripe, Unidade Carneirinho (Carneirinho - Minas Gerais).

















As pontas de pulverização com sistema de indução de ar Jacto Albuz AVI 11003 (venturi de primeira geração) e CVI 11003 (venturi de segunda geração), produzindo gotas aeradas com classificação de tamanhos "grossas para muito grossas", possibilitando o total controle da deriva nas pulverizações, objetivando a total segurança operacional para a equipe operacional e o mínimo risco de contaminação das áreas sensíveis próximas às áreas de aplicação.




A temperatura e a umidade relativa do ar foram monitoradas durante os trabalhos práticos em campo, objetivando a adequação dos tamanhos de gotas aeradas às adversidades meteorológicas, através da seleção de pontas de pulverização e do controle dos tamanhos das gotas.

Os testes de pontas de pulverização objetivando a redução do volume de calda e o controle da deriva nas pulverizações deverão ser "sempre" realizados nas horas mais adversas do dia (10 hs - 15 hs), com temperaturas altas e baixa umidade relativa do ar.




A Usina Coruripe e todas as suas unidades de produção (Iturama, Carneirinho, Campo Florido e Limeira do Oeste) prezam pela melhoria contínua dos processos de aplicação de agroquímicos na cultura da cana-de-açúcar e prepara toda a sua equipe operacional de campo para o desenvolvimento das melhores práticas agrícolas na condução dos trabalhos de pulverização.





Foram realizados testes de aplicação com o pulverizador tratorizado montado Falcon 1400 Jacto, equipado com as pontas de pulverização venturi (indução de ar) Jacto Albuz AVI 11002, Jacto Albuz CVI 11002, KGF RDA 11002, Agrotop AIRMIX 11002, KGF RDA 110015, Jacto Albuz AVI 110015, Jacto Albuz CVI 110015, Agrotop AIRMIX 110015, dentre outras.








O pulverizador tratorizado montado Falcon 1400 realizando simulações de aplicações em velocidade operacional de 6,5 km/h, com altura de barras entre 50 a 120 cm (altura de liberação de gotas).








Foram realizados testes de deposição de gotas em papéis sensíveis à água (Syngenta) objetivando a análise visual das densidades de gotas em diferentes volumes de aplicação: baixo volume (50 litros/ha), médio volume (50 a 100 litros/ha) e alto volume (acima de 100 litros/ha).





Foram testadas em campo, na equipagem do pulverizador tratorizado montado Falcon 1400 Jacto, as pontas de pulverização venturi Jacto Albuz CVI 110015, KGF RDA 110015, Jacto Albuz AVI 110015 e Agrotop AIRMIX 110015. Nas fotos abaixo, é possível visualizar as diferentes deposições de gotas aeradas produzidas pelas pontas mencionadas acima. O objetivo foi avaliar as eficiências das taxas de recuperação e as porcentagens de cobertura de gotas, em condições meteorológicas extremamente adversas.

















As pontas de pulverização com indução de ar (sistema venturi) Jacto Albuz CVI 110015, KGF RDA 110015 e Jacto Albuz AVI 110015, equipando o pulverizador autopropelido Uniport 2000, aplicando volumes entre 70 litros/ha a 100 litros/ha, nas velocidades operacionais entre 10 km/h a 14 km/h, nas áreas de cana-de-açúcar da Usina Coruripe - Unidade Carneirinho.












Avaliação Prática de Adjuvantes de Calda Redutores de Deriva. Nas fotos abaixo, durante testes de adjuvantes redutores de deriva em campo, foi possível visualizar o efeito real do controle da deriva das gotas finas produzidas, através do comparativo entre a aplicação da calda somente em "base aquosa" e após o condicionamento da calda por um bom adjuvante "protetor de gotas".

Demonstração de Pulverização em Base Aquosa (Somente Água).



Demonstração de Pulverização em Calda Condicionada (Adjuvante).




Foram realizadas simulações de pulverizações de calda condicionada por adjuvantes em condições meteorológicas extremamente adversas (temperatura: 40 graus ; umidade relativa: 25%). Foi possível constatar uma significativa melhora na densidade de gotas condicionadas depositadas nos papeis sensíveis à água, melhor homogeneização dos tamanhos das gotas, maior cobertura e menores riscos de perdas pela deriva e evaporação.
   





Agradecimentos aos competentes profissionais participantes da Usina Coruripe (Unidade Carneirinho): Adailton Vitoria Freitas, Alex da Costa Santos, Adriano Monteiro dos Santos, Anderson dos Santos de Oliveira, Bruno Dolores de Queiroz, Celso Luiz Machado, Daniel Floriano Alves, Edimar Candido de Andrade, Elvis Lemos Oliveira, Fabiano Venceslau da Silva, Fernando Marcos Garcez, Gilberto Rodrigo da Conceição, Heber Fernandes Pereira, João Roberto Andreza da Silva, Joberto Francisco da Silva, Joseci de Santos, Lucimar Ribeiro de Queiroz, Luiz Antonio Alvarenga, Marcelo Liberati, Marcio José dos Santos Castro, Marcio Quirino de Almeida, Marcos Henrique de Arruda, Mauro Lucio dos Santos, Michael Douglas Rodrigues Pinheiro, Nelson Bonfim Trindade, Nielson Delles Gonçalves Rosa, Odair de Almeida Silva, Odean Socorro da Silva, Paulo Abadio da Silva, Paulo Antunes da Silva, Paulo Vicente de Oliveira, Ronaldo Aparecido de Souza, Roner Cezar da Silva, Tiago Moises da Silva Rosa, Uilian Aparecido da Silva, Weliton Junior da Silva, Wesley Aparecido de Jesus Espera e José Gonçalves.



Informações Profissionais:

Manoel Ibrain Lobo Jr .'. é Engenheiro Agrônomo, consultor em tecnologia de aplicação de agroquímicos, ministrando cursos, treinamentos, palestras e realizando avaliações de pulverizadores autopropelidos, pulverizadores tratorizados, turbo-atomizadores e bicos de pulverização para revendas agropecuárias, cooperativas agrícolas, usinas de cana-de-açúcar e outras empresas da área agrícola.

Acesse: www.scribd.com/pulverizador

http://www.linkedin.com/pub/manoel-ibrain-lobo-junior/24/5b5/a33


PULVERIZADOR - COPYRIGHT 2014


Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br , www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.